AsproCivil, foi recebida pelo grupo Parlamentar do PS

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

AsproCivil, foi recebida pelo grupo Parlamentar do Partido Socialista na manh do passado dia 24 de outubro de 20013.
Estiveram presentes pelo Grupo Parlamentar do Partido Socialista, os deputados, Miguel Freitas, Isabel Oneto e Mota Andrade, em Representao da AsproCivil, estiveram presentes o Seu Presidente Dr. Ricardo Ribeiro, os seus Diretores Operacionais Nacionais, Dr. Costa Velho, Dr. Jorge Carvalho da Silva bem como Gui Santa Rira.
Na referida Reunio a AsproCivil teve oportunidade de debater vrios temas do setor da proteo civil, sendo que se destacam, as limpezas das reas envolventes florestais, o combate aos incndios no de inverno apostando na preveno e limpeza, a estratgia de criao de aceiros estrades e linhas de conteno e compartimentao da floresta para evitar a propagao dos incndios, a necessidade de formar e acreditao os quadros de comando dos bombeiros em tcnicos de Contrafogo, a falta de cartografia de riscos, a falta de fiscalizao das reas florestais e inoperncia dos municpios na mesma matria, a falta de um sistemas de alerta tsunami em Portugal (Sistemas de Avisos e Alertas), a central de Almaraz (as preocupaes que representam para Portugal), a necessidade de criao de uma Linha Verde de Proteo Civil, de entre muitos outros.
Os Sr.s Deputados fizeram as perguntas que acharam necessrias e afirmaram que iriam interpelar o Sr Ministro e o governo sobre grande parte destes assuntos.

GP PS

Actualizado em Terça, 25 Fevereiro 2014 10:58
 

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

AsproCivil teve a oportunidade de expor as temticas do setor da Proteo Civil durante 2:30m em Audincia com o Sr Ministro da Administrao Interna que decorreu ontem dia 24 de Setembro de 2013
Na reunio estiveram presentes Sua Exa o Ministro da Administrao Interna Dr. Miguel Macedo, Sua Exa. Secretario de Estado da Administrao Interna Dr. Filipe Lobo DAvila e uma comitiva da AsproCivil, composta pelo Presidente Dr. Ricardo Ribeiro, Vice-Presidente Dr. Costa Velho, Director Nacional Operacional Dr. Jorge Carvalho Silva, e Dr. Antnio Gualdino membro do Conselho Tcnico e Cientifico da AsproCivil.

1234768 204003116444411 1000820842 n

Actualizado em Terça, 25 Fevereiro 2014 10:52
 

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Participao de Ricardo Ribeiro AsproCivil na Tarde Informativa - RTP Informao onde abordou os incndios florestais em 2013, no passado dia 05 de setembro de 2013

http://www.youtube.com/watch?v=s_znlLPWZoo

 

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

A AsproCivil, relembra que da responsabilidade dos Municpios e da Autoridade Nacional de Proteo Civil, promover e elaborar, Planos de Contingncia para Ondas de Calor e Planos de Contingncia para situaes de Temperaturas Elevadas.

Sabemos que muitos dos Municpios, por incumprimento da lei, no tm Servios Municipais de Proteo Civil (SMPC), ou se os tm, so criados sem utilidade operacional ou sem utilidade de planeamento.

A falta dos Servios Municipais de Proteo Civil, no deixa os municpios nem os seus autarcas isentos das suas responsabilidades ao nvel do Planeamento de Proteo Civil, entendendo a AsproCivil que a prioridade dos municpios deva ser a sua populao, apontando assim como maior gravidade a falta dos planos em questo do que a dbil criao e implementao dos SMPC.

Neste sentido, no sendo da responsabilidade da AsproCivil, no podemos contudo deixar de alertar a populao para medidas de preveno para situaes de temperaturas elevadas.

 

10 Medidas de Preveno para situaes de Temperaturas elevadas

1. Procurar ambientes frescos ou climatizados mesmo durante a noite. Evitar a exposio direta ao sol, principalmente entre as 11 e as 18 horas;

2. Aumentar a ingesto de gua ou de sumos de fruta natural mesmo durante a noite. Evitar o consumo de bebidas alcolicas;

3. Dar ateno especial a grupos mais vulnerveis ao calor - doentes crnicos, idosos, crianas, grvidas e trabalhadores com atividade no exterior;

4. Doentes crnicos ou sujeitos a dieta com restrio de lquidos devem seguir as recomendaes do mdico assistente ou da Linha 808 24 24 24;

5. Visitar e acompanhar os idosos, em especial os que vivem isolados. Assegurar a sua correta hidratao e permanncia em ambiente fresco;

6. Assegurar que as crianas consomem frequentemente gua ou sumos de fruta natural e que permanecem em ambiente fresco. As crianas com menos de 6 meses no devem estar sujeitas a exposio solar, direta ou indireta;

7. As grvidas devero ter cuidados especiais: moderar a atividade fsica, evitar a exposio direta ou indireta ao sol e garantir ingesto frequente de lquidos;

8. Utilizar protetor solar com fator igual ou superior a 30 e renovar a sua aplicao de 2 em 2 horas e aps os banhos na praia ou piscina, que no devem ser frequentadas entre as 11 horas e as 15 horas;

9. Utilizar roupa solta, opaca e que cubra a maior parte do corpo, chapu de abas largas e culos de sol com proteo ultravioleta. Escolher horas de menor calor para viajar de carro. No permanecer dentro de viaturas estacionadas e expostas ao sol;

10. Evitar atividades que exijam grandes esforos fsicos, nomeadamente laborais, desportivas e de lazer no exterior.

fonte: http://www.dgs.pt/

A AsproCivil

Ricardo Ribeiro

  PRESIDENTE

 Esclarecimentos para: 919801810

 

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

POCA DE INCNDIOS

ALTERAES NA ESTRUTURA OPERACIONAL E MEDIDAS DE PREVENO

A ASPROCIVIL Associao Portuguesa de Tcnicos de Segurana e Proteo Civil, alerta o Pas e as Entidades responsveis pelo Setor da Proteo Civil, para o fato de que, o grande volume de chuva que caiu este Inverno, que originou um aumento substancial dos combustveis finos, conjugada ainda com alguma falta de formao e com a realidade dramtica de algumas Associaes de Bombeiros Portugueses, que esto a entrar num processo de falncia, torna-se fundamental que os esforos das vrias entidades e da populao em geral se concentrem nas medidas de preveno, informao, fiscalizao e de auto-proteco.

Apelamos por isso de novo ao Governo, Autoridade Florestal Nacional (AFN), s Cmaras Municipais, Associaes de Agricultores, s concessionrias de auto-estradas e estradas, para que procedam a trabalhos e aces de preveno, nomeadamente na criao de reas de proteo, de acessos dos meios operacionais, limpeza de propriedades e de combustveis finos nas beiras de estradas e auto-estradas.

A ASPROCIVIL entende, que dada a nova realidade climatrica que cada vez mais se afirma em Portugal, esta cria condies para o aparecimento de grandes incndios florestais pelo que propomos:

A alterao da legislao e sua fiscalizao eficaz, de forma a enquadrar a atividade humana no interior das matas e florestas, as atividades pirotcnicas, de queima de sobrantes agrcolas e de criao de pasto fora dos chamados meses de vero.

A formao dos agricultores e dos restantes operadores do setor, incluindo os do Estado, quanto a esta matria.

O apoio efetivo e urgente s Associaes de Bombeiros que se encontram beira da falncia, face ao estrangular da sua atividade, nomeadamente no transporte de doentes, que originou a perda de verbas importantes na sua sustentabilidade financeira.

Queremos aqui igualmente destacar, a importncia de garantir a existncia e manuteno de zonas de proteo na envolvncia das habitaes e outras construes num raio de pelo menos 50m, de forma a que os meios de combate a incndios tenham a possibilidade de efetuar uma defesa ativa e consequente de pessoas e bens.

    

ALTERAES NA ESTRUTURA DA PROTEO E SOCORRO EM PLENO PERODO CRITICO

Com as publicaes do Decreto-Lei n. 72/2013, que prev uma adaptao do novo modelo de organizao operacional do Sistema Integrado de Operaes de Proteo e Socorro, designado por SIOPS, e do Decreto-Lei n. 73/2013, que produz alteraes importantes na Lei Orgnica da ANPC - Autoridade Nacional de Proteo Civil, quer na substituio de Dirigentes, quer na sua estrutura operacional de Proteo Civil de Portugal, a ASPROCIVIL entende, que se por um lado, as alteraes agora ocorridas, no nos oferecem na sua generalidade criticas de maior, por outro, achamos que o "timing" para produzir estas alteraes, parece-nos que poderia e deveria ser outro, pois, no passado dia 15 de Maio entrou-se na Fase Bravo, e no prximo dia 1 de Julho entraremos na Fase CHARLIE (Fase critica) que como se sabe, sempre tempo de grande atividade e de mobilizao da estrutura operacional e dos seus agentes, para ocorrerem a Teatros de Operaes complexos e de difcil coordenao, como aconteceu no Algarve no ano passado.

Ora, no nos parece por isso, que seja sensato e correto, produzir alteraes na Organizao e nos protagonistas dessa mesma organizao, nos momentos em que se espera que ela venha a estar sob presso e a ser mais solicitada.

Um outro aspeto que preocupa a ASPROCIVIL a "diviso" dos meios areos que ficar agora entre 2 entidades:

A ANPC - com cerca de 30 aeronaves.

A EMA - com 8 aeronaves.

Parece-nos que, dada a j de si reduzida quantidade dos meios disponibilizados estrutura, dividir os meios areos por duas entidades, ir certamente dificultar a sua gesto global e a sua coordenao operacional, pelo que, por nos parecer mais sustentvel e coerente, defendemos a extino imediata da EMA e a transferncia de todos os meios areos para a responsabilidade da recente criada Direo Nacional de Meios Areos da ANPC,.

Por fim, apela-se igualmente ao Governo, mas tambm ao esprito de servio pblico da Comunicao Social, para em conjunto garantirem uma informao permanente e generalizada sobre as atitudes e comportamentos a ter e/ou a evitar por parte dos cidados e das empresas.

Lisboa, 5 de Junho 2013

A AsproCivil

Ricardo Ribeiro

  PRESIDENTE

 

Esclarecimentos para: 919801810

 

Actualizado em Sexta, 07 Junho 2013 11:58
 

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Participao AsproCivil na SEGUREX 2013

Nos primeiros 2 dias de participao na SEGUREX 2013 a AsprCivil j foi contactada por dezenas de profissionais, abordando temas desde a base legislativa formao de profissionais, estando a considerar iniciar alguns protocolos de cooperao com alguns dos profissionais na rea de estudo sobre novos equipamentos de segurana, de acordo com algumas intenes demostradas.

A AsproCivil est a considerar bastante positiva esta participao no maior Salo Internacional de Proteo e Segurana, SEGUREX 2013

Informamos ainda que a campanha especial de associados est a ser um sucesso, decorrendo at ao dia 11 de Maio

http://www.segurex.fil.pt/

Site-Segurex 2013 banner logo

ASPRO-SEGUREX

Actualizado em Quinta, 09 Maio 2013 21:47
 

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Principais dados estatsticos nacionais e internacionais disponveis sobre incndios urbanos.

http://www.segurancaonline.com/gca/?id=880

logotiposo apsei
siga tambem a nossa atividade, subscrevendo a nossa pagina
www.facebook.com/Asprocivil.pt

Actualizado em Sexta, 03 Maio 2013 12:03
 

Deputada Andreia Silva Neto recebe ASPROCIVIL pelo do Grupo Parlamentar do PSD

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

A ASPROCIVIL, foi recebida a 21 de Maro de 2013 pela deputada Dr. Andreia Silva Neto, em representao do grupo Parlamentar do Partido Social Democrata, no seguimento de ciclo de aes de audincias parlamentar. Nesta reunio, a ASPPROCIVIL, teve oportunidade de apresentar aos representantes do GP PSD, o facto de existirem mais de trezentos de tcnicos de proteco civil com formao superior, bem como mais umas centenas com formao de nvel 3, e que se constata existir lacunas na lei ao nvel da falta de definio nos diplomas e na legislao da Proteo Civil,

O Presidente da ASPROCIVIL, fez o especial enfoque para o PSD, por ser atualmente um dos partidos de suporte do governo, que este deveria ter uma especial ateno para o setor, referindo que as instituies pblicas e privadas deveriam de ter um tcnico superior de Proteco Civil, para elaborao e acompanhamento de planos de preveno contra riscos coletivos. Apresentou as preocupaes referentes hierarquia (dupla), que se reflete no setor da proteo civil, at Alerta Laranja 99% das situaes depende do Presidente de Cmara Municipal e a partir de Alertas Vermelhos - depende do Comandante Distrital (CODIS).

O Presidente da ASPROCIVIL, referiu tambm que o Comandante Municipal Operacional (COM) dever ter formao em PC e de quadros de comando e estagio/experiencia em agentes da PC.

O Presidente da ASPROCIVIL, debateu tambm a atribuio de funes ao TSPC, em especial enfoque para a elaborao e assinatura de Planos Municipais de Emergncia (PME), Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incndio (PMDFCI) e seu Plano Operacional Municipal (POM), Planos Especiais de Emergncia, (PEE), Planos de Sinaltica e Evacuao, reforando o papel da preveno, exerccios e simulacros.

Apresentou-se ao PSD tambm a a preocupao de os COM poderem obter formao complementar a definir (ANPC) indica "quem quer", bem como a possibilidade de os TSPC poderem assinar/auditar projetos de segurana contra de Incndio. O Presidente da ASPROCIVIL, abordou tambm o tema, sobre a falta de legislao que confira uma obrigatoriedade de as grandes superfcies, universidades, unidades hospitalares, Industrias SEVESO 1/2, Parques Industriais, terem um TSPC.

Por ultimo o Presidente da ASPROCIVIL teve a oportunidade de poder apresentar a intenso que existe na criao da Ordem dos Tcnicos Superiores de Segurana e Proteo Civil, para a qual necessitar da contribuio do PSD e do Governo, no que se refere a essa questo.

A deputada e os restantes representantes do GP do PSD receberam de as propostas da ASPROCIVIL de bom grado, tendo-se disponibilizado para em futuro se poder conjuntamente rever e apresentar alguma da legislao especifica no setor que espelhasse as preocupaes da ASPROCIVIL.

GP PSD 21MAR13

Actualizado em Sexta, 05 Abril 2013 11:12
 

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

A ASPROCIVIL, ir no prximo dia 08 de Maro realizar uma cerimnia de atribuio de Prmios de Excelncia e Mrito aos que se destacaram no Binio 2011-2012, reconhecendo aqueles que mais se destacaram em matria de proteo civil.

As categorias so as seguintes

  • CMARA MUNICIPAL - Valoriza o empenho competncia e investimento das camaras no sector da SeguranaProteco Civil, dando a ASPROCIVIL especial destaque aos aspectos organizativos, de meios e de recursos, bem como ao Planeamento da Emergncia Municipal.
  • PERSONALIDADE DO ANO - Valoriza o empenho, competncia e dedicao ao sector da Segurana PC.
  • TRABALHO ACADMICO - Premeia um trabalho que se tenha destacado pelo tema, pelo contedo e pela utilidade para o sector da Segurana eProteo Civil
  • EMPRESA - Valoriza o empenho competncia qualidade de servio prestado ao sector da Segurana e da Proteo Civil.
  • ORGO DE COMUNICAO SOCIAL - Premeia o trabalho de informao/formao e servio publico desenvolvido no mbito do sector da Segurana e Proteo Civil.

A cerimnia de entrega de Prmios de Excelncia e Mrito decorrer s 18:30H na Fnac C.C. Colombo Presidida pela Excelentssima Senhora Dra. Maria Barroso.

http://youtu.be/oyEj46H2UCw

CONVITE ASPROCIVIL

Actualizado em Sábado, 09 Março 2013 00:29
 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Parcerias

Autenticao


Prociv Boletim Mensal